RSS

Monthly Archives: January 2015

Isfahan – A apoteose iraniana

Fiquei procurando uma maneira de descrever Isfahan. É difícil. Busquei então ajuda no Lonely Planet, que faz uma descrição muita próxima do que eu faria. “Isfahan é a obra prima do Irã,a joia da Pérsia antiga, e uma das melhores cidades do mundo islâmico.” Quando eu fiz meu roteiro, imaginava que Isfahan seria o ponto alto da viagem. Não podia estar mais certo. Vou primeiro descrever o que fizemos, assim dá para ter uma ideia melhor quando for concluir no final.

Chegamos de Abyaneh, e o carro nos deixou direto no nosso hotel. Já começamos com o pé direito aí, pois além do hotel ser muito bom, era muito bem localizado também. na verdade era um apartamento, com quarto, sala, cozinha e banheiro. Dava pra ficar uma família inteira. E bem novinho, limpo e moderno. Deixamos as coisa lá, e fomos direto para a Iman Square.

Originalmente chamada de Naqsh-e Jahan, que significa “padrões do mundo”, a Iman Square é o ponto central da cidade, a segunda maior praça do mundo (atrás da Tiananmen Square, em Beijing). Ela tem 512m de comprimento por 163m de largura. Dá para construir um shopping de grande porte dentro dela. Ali se encontram simplesmente 2 mesquitas, um palácio e o Bazar de Isfahan. A praça é monumental. Tinha muita gente à tarde, mas ainda não tínhamos visto nada. Fomos direto para a Iman Mosque. Essa também é difícil de descrever. A mais bonita do Irã, na minha opinião. Ela foi construída em direção à Meca, portanto após entrarmos, vimos que ela é quase que diagonal à praça. Isso não importa, cada compartimento é uma obra de arte à parte. Pena que por causa do calor, havia uma tenda na área central, que nos impediu de tirar fotos melhores. Lá conhecemos um clérigo, que ficou batendo papo conosco. Apesar de totalmente pacífico, deu para sentir todo o religiosismo dele, e quão diferente são nossas visões do mundo. Bem interessante.

Gastamos um bom tempo por lá, e quando saímos já era final de tarde mesmo, e foi a hora de começarmos a curtir a Iman Square noturna. Isso mesmo, ela se transforma depois que a noite cai.

Praça

Praça

Praça

Praça

Mesquita

Mesquita

Mesquita

Mesquita

Teto

Teto

Mesquita

Mesquita

Nosso amigo clérigo

Nosso amigo clérigo

As famílias vão chegando e se arrumando nos gramados. Há várias fontes de água, mesmo no verão super árido iraniano. Charretes que levam famílias inteiras para passeios ao redor da praça, crianças batendo bola, brincando, enfim, a praça vai ganhando vida. Não sabíamos para onde olhar direito, cada lado dava para tirar uma foto linda, e a cada passo dava vontade de tirar mais fotos. Claro que a maioria ficou bem repetitiva, mas seria problema para o futuro. O negócio era curtir.

Show

Show

Vai um rango?

Vai um rango?

Logo lembramos que havia um bazar par conhecer. E que bazar! Só a entrada principal do Bazar já é uma atração em si. Lindíssima. São 12 entradas, e obviamente é impossível se localizar lá dentro. Tem mais de 1 km de comprimento, e lá no final ele se liga à outra mesquita, mas só iríamos lá no dia seguinte. O objetivo foi dar uma volta, se perder um pouco, fazer umas comprinhas, afinal é impossível resistir à variedade e qualidade das mercadorias. Tem literalmente para todo gosto.

Entrada do Bazar

Entrada do Bazar

Bazar

Bazar

Saímos do Bazar para uma rua lateral, e assim como nas outras cidades iranianas, há um mundo de comércio ao redor do Bazar. Não dá para ver tudo em um dia, é até meio frustrante ver as horas passarem, e tanta coisa pra ver. A gente estava cansado, mas a excitação era maior do que o cansaço. Finalmente paramos para tomar um café, e o dono logo nos cativou com seu papo amistoso, cheio de elogios para o Brasil. Ficamos lá um tempo, pois realmente era um local bem agradável de ver o mundo passar, e ao mesmo tempo bem aconchegante.

Novos amigos

Novos amigos

Jantar típico iraniano

Jantar típico iraniano

Talhador

Talhador

Jantamos em um restaurante local por ali, depois mais caminhada pela praça. Lembramos que ainda teríamos mais um dia e meio em Isfahan, então nos demos por satisfeitos e voltamos para o hotel, depois de um longuíssimo dia.

Pic nic

Pic nic familiar

Advertisements
 
Leave a comment

Posted by on January 28, 2015 in Iran, Irã

 

Tags: , , ,

Abyaneh

Saímos de Kashan em direção à Isfahan. Sorte nossa que contratamos um carro com motorista, o que nos permitiu dar uma parada em Abyaneh. Abyaneh fica fora da estrada principal, encravada nas montanhas, e de difícil acesso. Não há transporte público pra lá, ou vai de carro, ou de carona. Isso fez com que se tornasse uma cidade única. Criada há mais de 1.500 anos, Abyaneh parou no tempo. Literalmente. Hoje apenas algumas centenas de velhinhos e velhinhas moram lá, falam um idioma diferente, chamado Middle Persian. A cidade é praticamente toda feita de casas de barro vermelho, ruelas mínimas, a maioria não dá para passar nem um carro, e quase todas inclinadas. Claro que por tudo isso virou atração turística. Mas como praticamente só há turistas iranianos, não havia muitos.

Como fica nas montanhas, no inverno faz um frio de rachar, portanto a cidade foi construída de frente para o sol. No verão é mais fresca, em vez dos 45 graus lá de baixo, estava fazendo uns 37 ou 38 graus. Bem melhor! Ficamos perambulando por lá umas 2 horas, curtindo e tirando fotos, e não foram poucas. Acho que as melhores estão aí abaixo. mas decididamente valeu o passeio.

Abyaneh

Abyaneh

Essa é a parte nova

Essa é a parte nova

Caucasus + Iran 1807

Caucasus + Iran 1815

Caucasus + Iran 1825

Sem comentários

Sem comentários

Paramos no tempo

Paramos no tempo

Caucasus + Iran 1851

Caucasus + Iran 1817

 
Leave a comment

Posted by on January 26, 2015 in Iran, Irã

 

Tags: