RSS

Category Archives: Mozambique

Africa : chegando a hora

Bem, faltam 5 dias para a partida. Infelizmente algumas coisas mudaram. A primeira, e mais triste de todas, é a desistência de um dos componentes da viagem, por motivo de saúde. Acontece. É melhor antes do que durante, que aliás é o que aconteceu com ele na viagem ao Irã. Então seremos 3, eu, Leo e o Fabrício, o mesmo grupo da última viagem.

Outras mudanças aconteceram também. Decidimos que ir até o Lago Malawi não valeria à pena. Não por conta do lago em si, mas porque teríamos 3 dias de estrada de Livingstone até lá, passando por Lusaka e Lilongwe. E depois mais 3 dias de lá até Chimoio, em Mozambique. Achamos que para uma viagem de 3 semanas, seria muito. Desta forma, cortamos o Malawi do roteiro, e assim decidimos, após visitar Victoria Falls, descer pelo Zimbabwe.

Só que o dia que queríamos sair de Victoria Falls por terra para Harare não tinha ônibus. Então teríamos que ficar 1 dia a mais ou 1 dia a menos por lá. Esse ônibus para no Hwange National Park, onde poderíamos fazer um safari. Mas, de novo, teríamos que ficar por lá 2 dias, já que não tem ônibus todos os dias. Resolvemos assim fazer o safari na Africa do Sul, no fim da viagem. Achei uma cia aérea Fastjet, que faz este voo por US$ 48, então decidimos ir de avião.

Ótimo, tudo em cima. Mas depois descobrimos que as coisas não estão tão boas quanto pensávamos em Mozambique. Fomos fortemente aconselhados a não viajar por terra de Harare até Vilanculos, pois a guerrilha voltou a ficar ativa no interior, e uma das áreas consideradas de risco é a estrada que corta o país de norte ao sul, e no trecha perto do Rio Save, onde passaríamos. Depois de muito debate, resolvemos por maioria pegar outro voo, desta vez de Harare até Vilanculos (via Joanesburgo).

Desta forma, ganhamos vários dias extras no roteiro. A decisão foi de seguir o plano inicial em Mozambique, depois cruzar a Suazilandia, e por fim passear pelo leste da Africa do Sul. Ainda não definimos todo o roteiro, mas a vontade é de ir até o Sani Pass, na fronteira da Africa do Sul com Lesoto. Infelizmente o visto para o Lesoto não é fornecido na fronteira. Ainda não sabemos se vamos tanter tirar em Durban, ou em outro local. mas agora vamos deixar rolar, e o tempo vai dizer o que vamos fazer.

O roteiro básico então ficou assim :

roteiro2

Em breve volto, com as novas estórias.

 

 

Advertisements
 

Próxima Parada : África

É pessoal, está chegando a hora da próxima viagem. Depois de 5 anos, está na hora de voltar para a África, um dos continentes mais fascinantes que já fui, juntamente com a Ásia. Cheio de lugares lindos, mas além de tudo, o lugar com as pessoas mais puras, receptivas, amigáveis e alegres do mundo. Tendo viajado por 5 continentes, posso afirmar que para mim, não tem igual. Comparando com a Ásia, só perde em diversidade, já que a Ásia é um colchete de culturas, línguas, etnias, etc, incomparável. Não dá para ir 1 ou 2 vezes e dizer que já conhece. Essa será minha oitava viagem para a África, e certamente não será a última. Há muito o que ver ainda.

Desta vez escolhi a parte sul, um pedaço entre a África do Sul e a Tanzânia, que não conheço ainda. Começamos por Livinsgstone, na Zâmbia, local das Cataratas de Victoria. Depois vamos por terra até o Lago Malawi (passando pelas capitais de Zâmbia, Lusaka, e do Malawi, Lilongwe). Depois descemos, ainda por terra até Mozambique. Este trecho inicial vai dar um pouco de frio na barriga, por não haver transporte público fixo, como ônibus ou trens. Será na base do improviso, pegando vans, ônibus locais, e talvez um táxi aqui ou acolá.

Chegando no litoral, em Vilanculos, vamos visitar o arquipélago de Bazaruto, um dos locais mais bonitos do mundo. Depois descemos até Maputo, e de lá esticaremos até Johanesburgo, onde nossa viagem acaba. Ver roteiro abaixo :

roteiro

Claro que para esta longa jornada (4.042 km), teria que me juntar à outros loucos como eu. Primeiro foi o Leo, parceiro de todas as roubadas, depois veio o Fabrício, que provou o gostinho destas viagens faz tempo, mas só no ano passado tomou coragem de viajar comigo. E por fim o Khouri, que conseguiu liberação do trabalho, e não tem ideia de onde está se metendo. Vai ser divertido, com certeza, e a ideia de termos algumas incertezas no roteiro só aumenta a ansiedade. Serão somente 3 semanas, em outubro, portanto não dá para exagerar nas incertezas, há uns 2 ou 3 dias potencialmente sobrando. Falta pouco!