RSS

Tag Archives: viagens

Blog do Guilherme

Hoje vou falar um pouco do blog do Guilherme. Já havia mencionado este blog umas 2 ou 3 vezes anteriormente, mas agora vou dedicar um pouco deste espaço para destacar a importância que ele teve para a minha viagem, e também a importância que ele tem para quem quer que se imagine viajando pelo mundo, para locais absolutamente diferentes de tudo o que estamos acostumados a ver e visitar.

Acho que dou mais importância ao blog ainda do que o que ele já merece pelo fato do Guilherme ter feito exatamente o que eu deveria, quando tinha a idade dele. Em 1995 eu tinha pedido demissão do meu emprego na Petrobras (maluco!?!?), e meus planos eram exatamente cruzar a África de norte a sul, sem um tempo específico. Na época pensei em 6 meses, o que estaria de bom tamanho. Acabei não fazendo essa viagem, fiz outra mais curta, de 2 meses para a Ásia, e achei que estava de bom tamanho. Agora, mais de 15 anos depois, vi que não estava.

Ele tinha a mesma idade que eu quando saiu do emprego dele, e decidiu que era hora de partir. Diferentemente de mim, ele já era casado, e foi mesmo assim. Teve a sorte e competência de ser casado com uma mulher que entendeu sua necessidade, e depois foi encontrá-lo na estrada. E acabou se tornando mais que uma parceira de viagem, e sim uma incentivadora de mais viagens, que acabaram acontecendo. E tenho certeza de que ainda vão acontecer outras tantas.

Independente dos destinos que eles visitaram (falo sobre eles mais adiante), a mensagem que ficou foi muito mais relevante. Para mim, pela história deles guardar tantas semelhanças com a minha. Só que não dá para fazer o tempo voltar atrás. Então ficou como lição para mim, e pode servir de exemplo para outros que tenham situações parecidas.

Achei o blog dele quando pesquisava sobre vistos para o Uzbequistão. Isso porque na época eles estavam tirando este visto, além de outros, lá em Istambul, no início da última viagem deles, que foi para a Rota da Seda. Bem, quando descobri o blog, tive interesse em ler desde o início, e assim foi que descobri que a história tinha começado 2 anos antes, em abril de 2009. E primeiramente ele foi para a África do Sul. De lá, foi subindo pelo continente, nem sempre em linha reta. Não vou descrever aqui o roteiro, pois na verdade acho que as pessoas deveriam simplesmente visitar o blog e descobrir tudo que está por trás desta super viagem por conta própria. O fato é que li post a post, e daí surgiu a inspiração para a minha viagem no leste da África. Da África eles foram para o Oriente Médio, depois Ásia, voltaram para o Oriente Médio, depois Balcans (Europa). Durou cerca de 1 ano e meio. É claro que não estou sugerindo ninguém a largar tudo e viajar por 1 ano e meio, mas há várias lições a serem aprendidas com esta leitura.

Quando eu achei o blog, no início da segunda viagem, que durou SÓ 6 meses, eu começei a acompanhá-lo. Praticamente todos os dias eu entrava no blog, esperando o próximo capítulo desta aventura espetacular. Só para melhorar a situação mais ainda, sua esposa resolveu fazer um blog também. Então eram 2 visões distintas da mesma situação. Muito interessante. Às vezes 2 pessoas vão ao mesmo lugar, e têm opiniões diferentes, até porque são situações e circunstâncias diferentes. Mas neste caso não.

É por essas e por outras que venhi insistindo para eles não guardarem só para eles esta experiência única. De uma forma qualquer isso tem que ser passado adiante. Por isso, sugiro fortemente um passeio (completo) por este blog. Aí vai o endereço:

http://saiporai.wordpress.com

O blog dela pode ser acessado de dentro do blog dele.

Boa leitura e boa viagem!

Advertisements
 
4 Comments

Posted by on December 5, 2011 in Africa

 

Tags: , ,

Frio na Barriga

Cheguei hoje de uma rápida viagem para a Europa. Fui levar minha filha, que fará 15 anos no mes que vem. Ela me pediu de presente de aniversário, e fiquei bastante orgulhoso de ter sido escolhido para a estréia dela no Velho Continente. Foram apenas 10 dias, que começaram em Milão, depois Roma, Florença, Veneza e culminou com 4 dias em Paris. Muito corrido, mas deu para ver o principal de cada lugar. Óbvio que estou contando que ela retornará várias vezes, e aí terá a oportunidade de visitar as atrações mais profundamente.

Mas o que me chamou a atenção nesta viagem foi o fato de eu não ter sentido um frio na barriga antes de sair de casa. Também ora, tendo morado na Bélgica por 2 anos, e por isso tendo tido várias oportunidades de visitar Paris e a Itália, seria normal. Mas daí me lembrei da recente viagem à África, onde o que não faltou foi frio na barriga antes de sair de casa.

O primeiro local visitado por mim foi Addis Abeba, capital da Etiópia. De lá, fui fazer o circuito histórico no norte da Etiópia, e retornei à Addis Abeba. De lá, saí novamente, desta vez fui visitar o leste do país, e retornei mais uma vez à Addis. Foi quando me dei conta que, apesar de estar na Etiópia, não sentia mais o frio na barriga. Talvez por ser a terceira vez em menos de 2 semanas que eu estava por lá, e sempre ficando no mesmo hotel. Se tornou então um território conhecido para mim.

E é isso que me motiva a viajar mais. O tal frio na barriga. O fato de conhecer algo novo. Hoje em dia, com tanta informação disponível na internet, quase qualquer lugar pode ser “visitado” do conforto da sua casa. Isso significa que são poucos os lugares que dão aquele frio na barriga. E esses são os que me atraem.

Estava hoje mesmo conversando com o Guilherme, do excelente blog http://saiporai.wordpress.com e comentei com ele que quando eu fui à Índia em 1988, não havia internet, guias turísticos, e nem qualquer informação sobre hotéis, restaurantes, transportes, etc. Fui para lá sem qualquer ajuda. Não faltou o frio na barriga. A sensação de não saber o que vai encontrar, da novidade no sentido mais puro da palavra. Incrível! Até hoje me orgulho de ter feito daquela forma.

Só para completar: tem gente que detesta esse frio na barriga, e tenho respeito por todos que pensam assim. Preferem viajar com tudo esquematizado, parece que já curtiram a viagem antes de sair de casa. Hoje dá para ir para a Índia tendo comprado de casa os bilhetes de trem, avião, quartos de hotéis e/ou albergues, listado as atrações, buscando no google suas localizações exatas nas cidades onde ficam. E por outro lado, também dá para viajar para a Europa com o frio na barriga. Depende de onde, como, com quem, quando, e outras perguntas mais.

 
Leave a comment

Posted by on November 24, 2011 in Africa

 

Tags: ,